Redes de economia solidária do campo e da cidade se reencontram em Curitiba

Por Anderson Moreira, do Cefuria (Centro de Formação Urbano Rural Irmã Araújo)

Um diálogo que começou no ano passado, numa oficina realizada durante a 16ª Jornada de Agroecologia, na Lapa, teve continuidade nessa sexta-feira (8) em Curitiba. O “Seminário de Articulação de Redes de Economia Solidária Campo-Cidade” reuniu mais de cem representantes de cooperativas da reforma agrária, associações, empreendimentos solidários e consumidoras/es do campo e da cidade para discutir estratégias de consolidação e fortalecimento da rede.

Antes deste encontro, outro seminário já havia sido realizado no mês de março, também em Curitiba, com o mesmo objetivo.”A ideia é ir ligando os pontos da rede e que juntos possamos nos fortalecer. A cada passo, a gente consegue construir alguma coisa, nem que seja de pouco em pouco”, disse a professora Marilene  Zazula, professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e coordenadora da Incubadora de Economia Solidária (Tecsol), uma das organizadoras do evento.

Para Vanda de Assis, coordenadora do Centro de Formação Urbano Rural Irmã Araujo (Cefuria), entidade que também esteve na organização do seminário, a organização do campo e da cidade é fundamental enquanto estratégia de sobrevivência. “A economia solidária tem o desafio de discutir um projeto popular e defender a democracia no Brasil.  Ela é o contraponto a este modelo capitalista destruidor”, enfatizou.

O evento teve a participação de pessoas de Curitiba e Região Metropolitana, outros municípios do Paraná, do Rio Grande do Sul e até da França.

Desafios da rede

A metodologia do seminário privilegiou a contribuição das/os participantes, que divididas/os em grupos apontaram quais são os desafios para o fortalecimento da rede e da economia solidária. 

Alguns dos pontos elencados foram: formação continuada em economia solidária, que contemplem debates sobre gênero, moeda social, educação alimentar, agroecologia e modelo de sociedade; intercambiar experiências entre as redes; contribuir com a construção ou fortalecimento de leis estaduais e municipais; fortalecer o casamento entre comercialização, logística e distribuição dos produtos; realizar feiras itinerantes para fomentar comercialização em diferentes frentes; realizar uma grande feira de economia solidária, como a que foi construída na Jornada de Agroecologia.

Próximos encontros

A próxima reunião da rede será em agosto e dois seminários serão realizados, um durante a III Mostra de Economia Solidária Tecsol, em setembro deste ano na UTFPR, e outro na 18ª Jornada de Agroecologia, no ano que vem.


Desenvolvido pela Cooperativa EITA