Livros são lançados na 18ª Jornada de Agroecologia

Os assuntos são variados: meio ambiente, agrotóxicos, comunicação, educação, entre outros.

Texto: Rita Hilachuk – Cobertura Universitária da 18ª Jornada de Agroecologia
Fotos: Lia Bianchini

Espaço de troca de conhecimento, cultura e formação, a 18ª Jornada de Agroecologia tem na programação o lançamento de nove livros. Na tarde desta quinta-feira (29) aconteceu o primeiro: foram lançados os livros ‘História da Comuna de Oaxaca’ e ‘Sanga”, do jornalista Pedro Carrano.

O autor destaca a importância da construção desse espaço que abre portas para a divulgação de diferentes obras. “Sem dúvida a Jornada é muito importante por colocar cultura como um dos eixos principais: trazer diferentes artistas, produtores, escritores. É quase uma obrigação para os escritores de esquerda participar”, comenta.

O livro escrito por Carrano retrata uma greve de professores do estado de Oaxaca, no México, em 2006. Esse é um dos poucos registros em português do tema. “A greve foi reprimida e os professores começaram a se organizar. Durante seis meses controlaram a comunicação e o espaço urbano”, conta o autor.

Na sexta e no sábado mais obras serão lançadas, entre elas o livro “Agronegócio e Indústria Cultural – Estratégias de empresas para a construção da hegemonia”, de Ana Manuela Chã, e “Ensaio da Escola do Trabalho na luta pela Terra – 15 anos da Escola Itinerante do Paraná”, de Marlene Lúcia Siebert Sapelli, Valter de Jesus Leite e Caroline Bahniuk.

Ana Manuela Chã é psicóloga e integrante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. Em sua dissertação de mestrado que virou livro, a autora fala da forma que as empresas atuam para a solidificação do agronegócio através da comunicação de massa.

Já o livro “Ensaios da Escola do Trabalho na Luta pela Terra” trata da história da escola itinerante, bem como sua implantação, lutas e desafios.

Esses e muitos outros livros podem ser adquiridos em diferentes tendas dentro da Jornada. Há também uma tenda da Editora Expressão Popular, onde podem ser encontradas essas e outras obras.

A 18ª Jornada da Agroecologia acontece na Praça Santos Andrade e vai até 1º de setembro. As tendas ficam abertas das 8h às 20h na sexta e no sábado, e das 8h às 16h no domingo.

Confira as datas e horários dos lançamentos:

Sexta-feira (30), às 17h

Lançamento do livro ‘ Ensaios da Escola do Trabalho na Luta pela Terra: 15 anos da Escola Itinerante no Paraná’, organizado por Marlene Lucia Siebert Sapelli, Valter de Jesus Leite e Caroline Bahniuk

Lançamento do livro ‘Agronegócio e Indústria Cultural’, de Ana Manuela Chã

Local: Tenda Conhecimento em Movimento – Praça Generoso Marques, em frente ao Paço da Liberdade.

Sábado (31)

13h30 – Lançamento do livro ‘Sem Terra em cartaz’, do MST
Local: Tenda Expressão Popular – Praça Santos de Andrade

14h – Lançamento do livro ‘A Reforma Empresarial da Educação: novas ideias velhas direita’, de Luiz Carlos de Freitas
Local: Tenda Expressão Popular – Praça Santos Andrade

15h30 – Lançamento do livro ‘Guerras híbridas’, de Andrew Korybko
Local: Tenda Expressão Popular – Praça Santos Andrade

16h – Lançamento do livro ‘Ensaios sobre Poluição e Doenças no Brasil’, organizado por Sonia Corina Hess
Local: Tenda Wajapi / Agrotóxico Mata – Praça Santos Andrade

17h – Lançamento do livro ‘Povos Indígenas: terra, culturas e lutas’, organizado por Benedita Prezia
Local: Tenda Expressão Popular – Praça Santos Andrade

17h30 – Lançamento do livro ‘A relação dialética do homem com a natureza: estudos históricos-filosóficos sobre o problema da natureza em Marx’, de Wolfdietrich Schmied-Kowarzik
Local: Tenda Expressão Popular – Praça Santos Andrade



'Livros são lançados na 18ª Jornada de Agroecologia' não possui comentários

Seja o/a primeiro/a a comentar!

Gostaria de deixar um comentário?

Your email address will not be published.

Desenvolvido pela Cooperativa EITA