Vem aí a 19ª edição da Jornada de Agroecologia! 

Curitiba recebe pela terceira vez um dos maiores eventos de Agroecologia do Brasil, de 22 a 26 de junho. 

Por Coletivo de Comunicação da Jornada de Agroecologia

Feira de alimentos orgânicos e agroecológicos, apresentações culturais, show de artistas locais e nacionais, oficinas, seminários, exposições de fotografias e charges, espaço de Saúde Popular e culinária. Tudo isso e muito mais está reunido na 19ª edição da Jornada de Agroecologia, entre 22 a 26 de junho, no Campus Rebouças, da Universidade Federal do Paraná, bairro Rebouças. 

Criada em 2002, a Jornada de Agroecologia é um dos maiores eventos brasileiros dedicados ao tema, e acontece pela terceira vez na capital do estado. A estimativa da organização é reunir cerca de 60 feirantes, vindos de todas as regiões do Paraná e também de outros estados brasileiros.

Entre as atrações culturais confirmadas estão o cantor Otto; A Banda Mais Bonita da Cidade, Jaquelivre e Beduíno; Forró de Maravilha; Fandango Caiçara – Grupo Mandicuera; Moda de Viola com Osvaldo Rios e Rogério Gulin; Susi Monte Serrat e João Bello; grupo Mistura Popular; Trupe dxs Encantadxs; Comitê Popular do Samba; “Bamberê”, com Grupo Baquetá, “O Circo é Nosso”, com a Cia Mirabólica; peça de teatro “Sobre lendas e mulheres”; Apresentações de Dança “Voo das bandeiras”, com Yiuki Doi, e Carimbó, com Aymê Amora.

A Jornada é promovida a muitas mãos, por organizações e movimentos sociais do campo e da cidade, e reúne agricultores, estudantes, técnicos, pesquisadores e professores. Ao todo, são 68 organizações que constroem a Jornada de forma coletiva e em rede, com o lema comum: “Terra Livre de Transgênicos e Sem Agrotóxicos! Cuidando da Terra, Cultivando Biodiversidade e Colhendo Soberania Alimentar! Construindo o Projeto Popular para a Agricultura!”

Abertura do “Túnel do Tempo” da 18ª Jornada de Agroecologia, em 2019. Foto: Leandro Taques
Foto: Arquivo MST-PR

Durante os dias do evento, “Túnel do Tempo“ vai contar a história das Jornadas de Agroecologia. A instalação está sendo preparada pela Escola Latino Americana de Agroecologia (ELAA), por estudantes do ensino fundamental e médio e assentados e acampados do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).  

Na programação também estão previstos seminários com as temáticas da agroecologia, impactos dos agrotóxicos, educação do campo, além de oficinas práticas. 

Agroecologia para enfrentar as crises 

A 19ª Jornada chega pouco mais de dois anos depois do início da pandemia de covid-19. Junto com a crise sanitária, ficou ainda mais forte o alerta vermelho para problemas globais que não são de hoje e que estão interligados: crescimento da fome e da desigualdade, crise ambiental, escassez de energia e de água, mudanças climáticas. 

Ao lado da destruição da natureza e da crise humanitária, avança a concentração de terras, a violência contra povos e comunidades tradicionais, e a produção de commodities e o uso de agrotóxicos.  

A 19ª edição terá exposição, partilha e comercialização de sementes crioulas. Foto: Leandro Taques

Em tempos duros para os povos de todo o mundo, a agroecologia se reafirma como caminho para cuidar da terra, da biodiversidade do planeta e de todos os seres vivos. É um projeto de vida, que carrega os saberes populares dos povos originários e comunidades tradicionais e segue agregando tecnologias, conceitos e saberes da humanidade, em movimento permanente. 

A Jornada precisa de você! 

Precisamos do seu apoio para realizar a 19ª Jornada! Nossa meta é arrecadar 100 mil reais, que irá garantir transporte, parte da infraestrutura e materiais desta edição. 

Vamos retribuir cada doação com uma recompensa. Serão postais, canecas, bonés, aventais e a famosa cachaça Camponesa são algumas das recompensas que preparamos para quem colaborar. >> Clique aqui e veja como fazer parte! 

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.