Viver a agroecologia: Túnel do Tempo relembra todas as edições da Jornada

Marca registrada da Jornada de Agroecologia, o espaço tem como objetivo resgatar a história e reforçar o diálogo entre campo e cidade

Por Rita Hilachuk

Entre as atrações da 19ª Jornada de Agroecologia, está o Túnel do Tempo. A instalação, que faz parte de todas as edições do evento, resgata a história de luta pela terra por meio de imagens, ornamentações e material audiovisual. Este ano, o tema escolhido pelo Túnel foi a própria Jornada, com o lema “Jornada de Agroecologia: uma trajetória de luta”.

“O Túnel do Tempo é um espaço que, além do resgate da memória do MST,  apresenta para a sociedade, por meio da universidade, o nosso jeito de produção e o que é viver a agroecologia”, destacou Jones Fernando Jeremias de Lima, coordenador do setor de Educação do MST.  “A gente fez uma divisão de tarefas, desde o resgate de materiais como bolsas, cartilhas e camisetas que tínhamos das jornadas, além das fotos com fotógrafos populares”, explica Lima.

A organização do Túnel do Tempo buscou registros antigos da Jornada de Agroecologia para compor a instalação de 2022. Foto: Rita Hilachuk

“Eu sou indígena. A gente vê nas fotos o pinhão que para nós Kaingang tem o símbolo de fortaleza. Vemos também as araucárias e as gralhas que acabam representando nós indígenas também, porque cultivamos muita araucária” ressaltou Jaqueline Kuita. “Só assim para passarmos esse conteúdo para uma juventude que mora numa capital e não tem acesso a esse tipo de vida e coloca as pessoas para pensarem sobre”. 

Para Eduarda da Silva Jorge, estudante de Turismo da UFPR, o Túnel trouxe uma experiência sensorial. “A experiência vai desde pisar aqui neste chão, onde não parece mais que estamos dentro da universidade e sim em outro lugar. Além da história que é contada pelas fotos”, relatou. 

Coletividade

A ilustradora Veronica Fukuda foi a idealizadora da arte de abertura do Túnel. “As mãos cerradas são símbolos da luta, da força e da vitória. As mãos segurando os lápis são símbolos da educação no campo, assim como a mão que colhe o que foi produzido”, explicou. 

Pintura na abertura do Túnel do Tempo. Foto: Rita Hilachuk.

Verônica aproximou-se dos movimentos sociais em 2018. “Eu fiquei pensando ‘O que eu posso fazer?’ Me aproximar dos movimentos sociais foi a melhor maneira de lutar contra a política extrema direita. Agroecologia é a produção consciente, completamente oposta ao agronegócio. Só tenho força se estiver no coletivo e um projeto como este dentro da universidade semeia justamente essa ideia”, relembra.  

Confira o vídeo da instalação que fica no hall de entrada do Campus Rebouças da UFPR:

Em 2022, a  tarefa de confecção do Túnel do Tempo ficou a cargo  do Setor de Educação do MST-PR, a Escola Latino Americana de Agroecologia (ELAA) e a Escola Municipal e Estadual do Assentamento Contestado. 

O Túnel ficará instalado até 25 de Junho e estará aberto para visitação entre às 8h e 21h para o público. As escolas ou coletivos que queiram conhecer a instalação podem entrar em contato com Cassiano  (tel: 45 9 99228248),  Leidiane (tel: 43 9 91820260) ou Mirele  (tel: 41 9 97514080). Venha participar e conhecer mais sobre a história da luta pela terra e da agroecologia!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.